Tuesday, May 6, 2008

Mãe!


...Faz de conta que ainda não cresci
E que ainda não sei falar
E que tudo depende de ti
E o nome que me vais dar
Canta outra vez no meu berço
As tuas canções de embalar
Reza por mim mais um terço
E pede a Deus para me ajudar
Volta a puxar-me a orelha
Bate porque eu quero chorar
Grita, zanga, aconselha
Dá beijos para eu me calar
Dá beijos para eu parar de chorar...



Não podia esperar nem mais um segundo sem te transmitir tudo o que és. As pessoas passam uma vida inteira sem que digam o que lhes vai na alma, sem dizerem o quanto importante ou especial alguém é. Não quero mais ser assim… não posso e não quero passar mais um só minuto sem te dizer tudo o que és em mim.
És a minha âncora, a minha bengala, a minha razão, o meu aconchego. E eu preciso dele mais do que nunca. Preciso daquele teu olhar que em silêncio me diz tudo, preciso das tuas palavras, da tua força, da tua mão que me seca as lágrimas. Grita e agita-me. Eu preciso. Preciso que me lembres que o especial está dentro de mim. Não se compra, não se procura, não se toma emprestado, não tira férias, não morre. Ele está dentro de mim.

Desculpa.
You know why.

Adoro-te.
Hoje e sempre.

És uma super mãe.


Se me dizes “gosto de ti até à lua”… eu digo-te… gosto de ti até à lua e da lua até cá abaixo.
Obrigada por tudo.
Amo-te mãe.


E uns parabéns mt mt mt especiais para o meu papá que hoje faz aninhos.
Quero-te aqui comigo… sempre!


Love you so so much!


1 comment:

joana said...

Já cá não vinha há algum tempo... Gostei de tudo o que li, mas este poema à mãe é qualquer coisa.... É de tua autoria?? Se sim, achas que o posso plagiar?? :) Se não é, dizes-me a quem pertence? Volta mais vezes...